Noviciado

I – IDENTIDADE:

Noviciado é um tempo privilegiado, centro e elemento fundamental de toda formação. Período intenso de reflexão e interioridade, no qual, a noviça toma consciência gradualmente dos valores próprios da Vida Religiosa e dos específicos da Vida Dominicana. É um tempo de maior dedicação ao conhecimento do valor de si mesmo, e aprofundamento da Vida Consagrada, de crescimento na oração, de descobrimento do valor do estudo, como instrumento de missão. Nele se experimenta a vida comunitária nos seus aspectos essenciais:
convivência, estudo, generosidade, ajuda mútua, etc.

II – JUSTIFICATIVA: O noviciado se destina ao aprofundamento de vida da fé e a iniciação na vida de nossa Congregação. A noviça aprofunda o sentido de sua vocação, adquire consciência clara de estar no lugar no plano de Deus, sendo capaz de decidir-se livre e consciente para a profissão dos Conselhos Evangélicos na Congregação. Experimenta a Vida da Congregação, forma a mente e o coração, segundo o espírito dominicano e dá testemunho de sua decisão e idoneidade.

III – MOTIVAÇÃO: Jesus chamou a si aqueles que “Ele quis para estar com Ele” (Mc 3, 13)

Vinde e Vede (Jo 1, 35-39)

“Deus acima de Tudo.” Teresa de Saldanha

IV – OBJETIVO GERAL:

1 – Proporcionar uma profunda experiência de Deus que leve a noviça a deixar-se seduzir por Jesus Cristo de modo a fazer d’Ele o Absoluto da sua vida.

2 – Continuar a Formação de maneira sistematizada, aberta, orientada à Vida Religiosa Dominicana, possibilitando a candidata sempre uma opção clara, livre, consciente e decisiva.

V – OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

1 –  Descobrir o sentido e a profundidade da Vocação Religiosa e a Consagração.

2 –  Desenvolver o processo de interiorização e da oração pessoal.

3 – Clarificar as motivações da opção vocacional.

4 –  Discernir a vontade de Deus para uma entrega livre e consciente a exemplo da Madre Fundadora.

5 – Crescer no conhecimento e na vivencia da Vida Religiosa, conforme o espírito da Congregação.

6 –  Fazer a experiência da vida comunitária cultivando a alegria do serviço gratuito.

7 –  Estimular a vivencia do silencio e da oração como valores imprescindíveis para a Vida Religiosa.

8 –  Descobrir Maria como modelo da nossa Consagração.

9 – Cultivar progressivamente as virtudes humanas e cristãs, para revestir-se de Cristo e configurar-se a Ele.

10 –  Fazer a experiência de uma vida em pobreza, castidade e obediência.

11 – Descobrir a alegria de partir em missão.

12 – Aprofundamento bíblico, com enfoque em Deus libertador.

13 – Busca de conversão do coração.

14 – Cultivo da vida sacramental e litúrgica.

15 – Formação da consciência moral – consciência e liberdade.

16 – Inspiração